Untitled Document
.Argonautas - Conta-nos a lenda que Pélias usurpara o trono da Tessália que competia ao seu irmão mais velho Eson; e, como este viesse, mais tarde, a ter um filho herdeiro, de nome Jasão, Pélias, temendo que essa criança viesse a ser, futuramente, um sério obstáculo à continuação do seu reinado, resolveu eliminá-la. Eson, percebendo esse criminoso intuito do irmão, cobriu-se de luto, simulou habilmente a morte do filho, e confiou-o aos cuidados do centauro Quiron. Pélias tranqüilizou-se diante do desaparecimento do sobrinho; mas, ouvindo um oráculo, o deus respondeu-lhe que um homem, com sandálias apenas em um dos pés, poria em risco o seu reinado. Tempos depois, Jasão já era homem, quando Pélias, vindo a conhecê-lo, ignorando contudo tratar-se do seu sobrinho, convidou-o para uma festa. Jasão aceitou o convite, e, tendo perdido, em caminho, uma das sandálias, apresentou-se apenas com um dos pés calçado. Pélias lembrando-se então do oráculo, perguntou-lhe: "Que farias, meu amigo, se fosses rei, e um oráculo predissesse que um teu visitante viria a destronar-te?". "Mandá-lo-ia buscar o Tosão de ouro", respondeu Jasão. Pois bem, és tu, precisamente, o indicado pelo oráculo; vai, portanto, buscar o precioso talismã; se mo apresentares, eu te restituirei o trono. Jasão obedeceu, e, sem perda de tempo, começou a tomar as providências preliminares para a sua arrojada empresa: Auxiliado por Minerva, construiu então a nau " Argos " ( a veloz ), e nela embarcou, com mais 52 tripulantes, rumando para a Cólchida, onde foi ter à presença do rei Eétes, e o intimou a entregar o Velo que se achava sob o seu poder. O rei, certo de mandá-lo à morte, impôs-lhe, como condição: 1º pôr a canga em dois touros de pés e cornos de bronze, que deitavam fogo pelas narinas, e os atrelar a uma charrua de diamante; 2º lavrar, com eles, uma vasta área, e nela semear os dentes do dragão Cadmo; 3º vencer os gigantes armados que viessem a nascer dessas sementes e, finalmente, 4º enfrentar e matar o dragão guarda do Velo. Jasão, tendo conquistado o amor de Medéa, filha do rei e perita feiticeira, dela obteve, sob promessa de casamento, todos os elementos necessários à completa vitória: recebeu um bálsamo maravilhoso para ser untado no seu corpo e nas suas armas, tornando-os invulneráveis ao fogo, e foi-lhe recomendado que, quando nascessem os gigantes, atirasse uma pedra no meio deles, o que os faria lutar uns contra os outros, até se exterminarem. Essas recomendações, seguidas a risco, deram o resultado desejado. Restava apenas vencer o dragão; para isso, Medéa, com uma beberagem mágica, fê-lo adormecer, e Jasão, encontrando-o inerte, em profundo sono, atravessou-o com sua afiada lança, tombando-o por terra. Em seguida, apossou-se do Velo de ouro e fugiu com Medéa. Chegando a Tessália, entregou-o a Pélias e reclamou o prometido; e como este soberano se recusasse a cumprí-lo, Medéa tirou uma cruel vingança: Disse às filhas do usurpador que elas poderiam facilmente rejuvenescê-lo, para o que deviam fazê-lo em pedaços, e deitá-lo a ferver em um caldeirão, com determinadas ervas; e, por esse processo, transformou-o em cordeirinho. As moças, em vista do que acabavam de testemunhar, não vacilaram em matar o velho pai, reduzí-lo a pedaços, esperando em vão, vê-lo ressurgir jovem e formoso. Eliminado assim Pélias, Jasão reinvidicou o trono. Foram eles: Acasto, Admeto, Aethalides, Amfiaráu, Amfidamas, Amfion, os dois Anceu, Arcadiens, Argos, Asterio, Asterion, Augen, Butes, Calais, Castor, Ceneu, Cefeu, Clyto, Deucalião, Echion, Ergino, Eumedonte, Eufen, Euryto, Glauco, Hércules, Idas, Idmon, os dois Iola, Ifício, Ificlos, Ifito, Jasão, Laertes, Linceu, Linco, Meleagro, Menétio, Mapso, Nanplio, Neleu, Oileu, Orfeu, Peleu, Filamon, Prithoo, Pólux, Theseu, Tiphys, Tideu e Zetes.

menu de heróis

Aquiles
Argonautas
Hércules
Jasão
Perseu
Proteu
Teseu
Ulisses